MICROSOFT CONTRIBUI PARA MODERNIZAR INFRAESTRUTURA TECNOLÓGICA DE INSTITUIÇÃO DE SAÚDE

A plataforma de gestão de ambientes da Microsoft permite maior eficiência operacional e, em última instância, impacta positivamente na saúde dos pacientes
Automatizar processos, atualizar a estrutura tecnológica, reduzir a utilização de formulários e guias e prestar um atendimento ainda mais eficiente eram alguns dos desafios da área de tecnologia da informação do Hospital Israelita Albert Einstein, reconhecido em todo País pela excelência de seus serviços. "Em nosso segmento, a eficiência impacta diretamente na saúde dos pacientes, por isso a tecnologia pode ser uma aliada de peso para gerenciarmos a infraestrutura de servidores, os quase quatro mil desktops usados pela equipe e uma enorme variedade de dispositivos móveis usados por colaboradores e clientes", afirma o gerente de infraestrutura de TI do hospital, Leandro Cruz.
O hospital assinou este ano um contrato de adoção antecipada com a Microsoft e foi a primeira organização no País a implementar o Microsoft System Center 2012 antes que ele fosse lançado no mercado. O objetivo era dispor de uma moderna plataforma de gerenciamento que lhes permitisse atualizar com eficiência o sistema operacional preexistente - composto pelo Windows XP e mais 140 sistemas de apoio - pelo Windows 7, já com o Office 2010 e Internet Explorer 9.
A implementação do System Center foi concluída em maio e os executivos já constatam as vantagens. "Com a solução será possível economizar de 30% a 40% do tempo que gastaríamos se tivéssemos de fazer a migração para o Windows 7 manualmente. Como utilizávamos o Microsoft Systems Management Server 2003 e ele atendeu perfeitamente às nossas necessidades na ocasião, a atualização para a versão mais recente foi um processo natural. Não buscamos outras soluções no mercado, pois sempre entendemos que o System Center seria o melhor para nós, independentemente de qualquer estudo comparativo, por ser uma plataforma nativa", afirma o gerente de infraestrutura de TI.
"Em termos estratégicos, toda essa estrutura nos permitirá acompanhar o movimento de expansão da instituição de maneira racional, evitando o aumento dos custos de suporte. A Microsoft exerce, portanto, um papel fundamental no apoio ao crescimento do Einstein", reforça Cruz.
Segundo o gerente de TI, os funcionários que utilizam o computador em seu dia a dia perceberão melhorias assim que o novo sistema operacional for instalado. "Como as soluções são mais performáticas, os usuários terão ganho de agilidade e lidarão com uma interface mais amigável e intuitiva", destaca.
Outro benefício proporcionado pelas soluções Microsoft será a facilidade de expansão do conceito 'paperless' na organização, que prima pela eficiência ambiental e otimização dos recursos. "Com a automatização de processos, será possível promover maior integração tecnológica e eliminar etapas que envolveriam preenchimento de formulários e guias impressas. Aproveitando a nova estrutura, nossa intenção é, num segundo momento, nos dedicarmos à questão da consumerização de tecnologia da informação e gerenciamento dos dispositivos de cada um de nossos colaboradores", diz Leandro Cruz.
"O lançamento do Microsoft System Center 2012 em maio deste ano representa para os profissionais de TI a oportunidade de fornecer serviços rápidos e confiáveis com a computação em nuvem. Por meio dele, é possível gerir ambientes físicos e virtuais de modo integrado e monitorar aplicações e diagnósticos. Ele é compatível com múltiplas plataformas, tais como Windows, Linux e Unix, e sua infraestrutura self-service confere agilidade na requisição e no provisionamento de recursos. O System Center 2012 também possui características para gerenciamento e controle de consumerização de TI, uma vez que pode gerenciar políticas de segurança para dispositivos Windows Phone, Android e iOS de modo totalmente integrado", explica Paula Bellizia, diretora de marketing e negócios da Microsoft Brasil.
O Hospital Israelita Albert Einstein possui as unidades Morumbi, Ibirapuera, Jardins, Vila Mariana, Alphaville e Perdizes, o Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa e ainda o Programa Einstein na Comunidade de Paraisópolis. Ao todo, são cerca de dez mil funcionários distribuídos pela cidade de São Paulo e as perspectivas são de crescimento progressivo, com a recente ampliação das estruturas mais antigas, como a nova unidade Alphaville, recentemente inaugurada, aumentando ainda mais o volume de pacientes atendidos.