Barcelona Forma uma Cidade Futurista

Barcelona Forma uma Cidade Futurista
Construída no século III a. C., Barcelona é a segunda maior cidade de Espanha com 1,6 milhões de habitantes e aproximadamente 14.000 empregados. Considerada como um marco na inovação global do comércio, turismo, TI e arquitetura, a cidade de Barcelona procura ativamente ajudar a criar o seu sucesso futuro — e o de outras cidades — com a tecnologia.
Cada agência em Barcelona utiliza um sistema diferente e ferramentas de outros fabricantes para gerir os processos, incluindo o business intelligence (BI). Em anos anteriores, isto significava que a equipa tinha de compilar manualmente dados distintos de modo a obter uma perspetiva sobre os serviços da cidade, incluindo transportes e equipas de serviços de emergência. Estes processos manuais, além de diminuírem a eficiência, inflacionavam também os custos. Com o aparecimento das redes sociais e de outras novas tecnologias, grandes volumes de dados públicos ficaram disponíveis, contudo não eram explorados pela cidade nem pelos cidadãos.
Para facilitar o progresso, Barcelona decidiu criar uma solução Big Data acessível e de fácil utilização numa nuvem. “Estamos a preparar a nova era em que é possível usar a solução Big Data para aumentar a qualidade de vida das pessoas através de melhores serviços e do crescimento económico”, declarou Lluis Sanz Marco, Diretor da Informação no Instituto Municipal da Informação da cidade de Barcelona.
Depois de analisar as tecnologias em nuvem, Barcelona decidiu criar uma solução Big Data piloto na plataforma da Microsoft. A solução utiliza o Windows Azure, Windows Azure HDInsight Service e o software Microsoft SQL Server 2012 Enterprise Edition, bem como o sistema operativo Windows 8 e o software de folhas de cálculo Microsoft Excel 2010. Marco afirma “Podemos analisar dados extensos e complexos a um custo razoável em comparação com outras tecnologias de processamento em massa paralelas utilizando o Windows Azure HDInsight”. Para ajudar a criar e implementar a respetiva solução Big Data piloto, a cidade contratou a Bismart, um Parceiro Big Data da Microsoft e o Parceiro do Ano em Business Intelligence da Microsoft.
Em 2011, uma equipa de engenheiros da Bismart e da cidade criaram uma nuvem híbrida, movendo assim alguns sistemas de departamentos para o Windows Azure e mantendo outros na rede privada da cidade. Barcelona também trabalhou com a Bismart no sentido de criar três novos serviços: Open Data, bigov Better City Indicators e o Festival La Mercé. Todos estes serviços, atualmente em fase de teste piloto, podem ajudar a cidade a atingir os seus objetivos prestando melhores serviços e transmitindo uma transparência do governo.
Bigov Better City Indicators
Para aumentar a transparência do governo, a cidade trabalhou com a Bismart para criar um painel conhecido como bigov Better City Indicators. Destinado à utilização tanto pelos funcionários públicos como pelos cidadãos comuns, o painel fornece vistas em tempo real de 120 indicadores chave de desempenho (KPIs) que avaliam os dados sobre tópicos, como os procedimentos administrativos; os serviços da cidade, incluindo a utilização pública de bicicletas e o número de pessoas que utiliza cada percurso de autocarro; a economia e a distribuição demográfica da população. A Bismart também desenvolveu a aplicação do Windows 8 utilizando o Microsoft Visual Studio 2010 Premium.
Festival La Mercé
Para simplificar o planeamento do maior festival anual de Espanha, La Mercé, e para testar a viabilidade da utilização da solução Big Data, Barcelona trabalhou com a Bismart no sentido de criar o serviço La Mercé. Pode dar aos funcionários públicos conhecimento sobre os dados estruturados e não estruturados relacionados com o festival para que a cidade possa melhorar os serviços prestados e facilitar uma maior participação. Os dados recolhidos relacionam-se com os espaços de entretenimento e de restauração do festival, interesses e satisfação dos cidadãos, mobilidade das pessoas e deteção de incidentes. Outras fontes de dados fornecem informações sobre transações com cartões de crédito, visitas a Web sites, inquéritos do serviço de clientes, dados GPS, estado do trânsito, dados meteorológicos e parques de estacionamento. A cidade também pode obter informações sobre o número de pessoas que entraram no festival através de uma porta específica e as estatísticas sobre emergências médicas e criminalidade. Os festivais futuros são assim melhorados minimizando os problemas do passado.
Aumentar a Qualidade de Vida e as Oportunidades de Negócio
A prestação dos serviços gratuitos Open Data também proporciona oportunidades para as empresas criarem novas aplicações e serviços online. Além disso, a consciencialização da importância da solução Big Data melhora significativamente os serviços que a cidade fornece porque os funcionários podem identificar mais facilmente as necessidades das pessoas com base em registos nos sistemas do governo, redes sociais e sinais de GPS que mostram como as pessoas se movem na cidade.
Por exemplo, Barcelona pode utilizar este aumento de dados detalhados para melhorar as suas estações de aluguer de bicicletas públicas, um programa conhecido como "bicing". Tal como Lluis Sanz Marco diz, “Os transportes são um dos maiores problemas das grandes cidades como Barcelona. Seguimos o percurso dos autocarros, bem como de outros transportes, como o uso da bicicleta ("bicing"). Ao processar os dados, sabemos que podemos obter o conhecimento necessário para distribuir bicicletas de uma forma diferente de modo a que as pessoas possam utilizá-las para se ligarem a outras formas de transportes como os autocarros e comboios. Além disso, podemos dar às pessoas mais opções de transporte público e, desta forma, criar um modelo mais sustentável".
Com a sua nova solução Big Data, Barcelona pode facilitar uma maior colaboração com os cidadãos, os proprietários de empresas e os turistas. “As nossas soluções Big Data e BI do Windows Azure são, na verdade, projetos internacionais”, concluiu Marco. “Além de ajudar a nossa cidade, podem ser a base para uma infraestrutura de cidade inteligente proposta pela City Protocol Society. Se for aceite, outras cidades poderão utilizar a estrutura para melhorar os serviços e ajudar as pessoas em todo o mundo a determinar onde querem viver e investir mostrando comparações entre localizações.”