Cidades sustentáveis: melhorar é possível

O Programa Microsoft CityNext se fortaleceu e ampliou a atuação no Brasil com soluções tecnológicas para problemas de segurança pública, de saúde e facilidade de acesso a serviços acessíveis para os cidadãos.

Após a Rio+20, a Organização das Nações Unidas reconheceu que o tema cidades sustentáveis tem que ser tratado com urgência na agenda de desenvolvimento da entidade. Tanto que na próxima Conferência sobre Assentamentos Humanos (Habitat III), em 2016, vai reunir líderes mundiais para propor um novo modelo de desenvolvimento urbano integrando conceitos do desenvolvimento sustentável.

De acordo com o relatório Perspectivas da Urbanização Mundial (World Urbanization Prospects), produzido pela Divisão das Nações Unidas para a População do Departamento dos Assuntos Econômicos e Sociais (Desa) e publicado em julho de 2014, 54% da população mundial vive em áreas urbanas e, em 2050, esse índice deve saltar para 66%. Apesar das oportunidades criadas com essa migração, surgem também problemas de infraestrutura, saúde pública, segurança, poluição e criminalidade.

Alinhada à demanda mundial, a Microsoft acredita ser possível transformar as cidades em locais melhores para viver. E coloca à disposição de governos, empresas e sociedade soluções tecnológicas que ajudam na construção das cidades do futuro. No ano passado, a companhia deu início ao programa Microsoft CityNext, iniciativa global que apoia o desenvolvimento de governos, instituições, empreendedores, educadores e cidadãos, para que todos tenham as mesmas possibilidades e potencial para modificar positivamente o lugar onde vivem e o próprio futuro.

Com empresas parceiras, a Microsoft oferece as ferramentas que combinam o poder da tecnologia com ideias inovadoras e conectadas aos setores da sociedade, empresas e governos para dar origem a cidades mais eficientes em serviços, econômicas, sustentáveis e com senso de comunidade.

Em 2014, o CityNext se consolidou aproximando a administração pública da agenda de inovação. O programa se transformou em uma alternativa para alcançar a ISO 18.091, norma que fornece aos governos locais diretrizes para conseguir a classificação qualitativa dos serviços e processos da cidade em 39 atividades essenciais, como desenvolvimento econômico e ambiental sustentável e também o desenvolvimento social inclusivo. Ou seja, com a norma, o governo torna-se mais eficiente e adota um plano de melhoria contínua.

No combate à criminalidade, foram desenvolvidas soluções inovadoras. O primeiro passo foi instituir a Divisão de Justiça e Segurança Pública no Brasil, seguindo os mesmos moldes do departamento nos Estados Unidos que implantou o Domain Awareness System (DAS) em Nova York. A solução utiliza tecnologias complexas como big data, computação na nuvem e mobilidade para melhorar a segurança pública. São Paulo é o primeiro estado do país a contar com o DAS, que recebeu do governo do estado o nome de Detecta.

A integração entre os cidadãos e a administração pública para resolver os problemas das cidades pode ser feita por meio do aplicativo Microsoft Cidadão Conectado. Com ele, os dois lados fiscalizam as dificuldades, propõem soluções e avaliam os serviços públicos. Assim constroem juntos uma cidade melhor. Com o aplicativo, o morador pode comunicar carros estacionados em locais proibidos, calçadas irregulares, problemas em iluminação das ruas, poda de árvores e muito mais. Tudo isso gratuitamente e disponível para todas as prefeituras para download. Rio de Janeiro (RJ), Sobral (CE) e Caieiras (SP) já demonstraram interesse.