Nuvem melhora a produtividade e gera lucros para as pequenas e médias empresas

Armazenamento online, controle de relacionamento com o cliente, custo de acordo com a demanda de cada empresa e mobilidade são apenas alguns ganhos das PMEs que adotam as soluções em nuvem da Microsoft.

As Pequenas e Médias Empresas (PMEs) brasileiras são fundamentais para impulsionar a competitividade nacional. Afinal, segundo o Sebrae, trata-se de um universo formado por nove milhões de entidades que geram mais da metade dos empregos formais. O segmento corresponde à maioria do corpo empresarial do Brasil e tem como principais dilemas: manter o crescimento sustentável, garantir a produtividade e obter melhor desempenho nas operações.

As PMEs sempre foram prioridade para a Microsoft, em 2014 a companhia disponibilizou mais ferramentas que pudessem atender melhor às exigências do setor e criou conteúdos úteis para ajudar no dia a dia dessas corporações. A solução em nuvem é resposta a uma das principais preocupações do segmento: segurança de dados e informações. E provoca uma transformação no mercado ao sair de um conceito antigo, produto físico, para uma solução de serviço na nuvem, ou seja, acessível em qualquer lugar do planeta. Tornando, assim, o trabalho mais eficiente.

Atualmente, as Pequenas e Médias Empresas reconhecem a necessidade de adotar serviços na nuvem. Tanto que, de acordo com o IDC, o mercado de nuvem pública deve superar a marca de US$ 800 milhões em 2015, com crescimento acima de 50% nos próximos 3 anos, pelo menos. Elas querem ter vantagem competitiva em relação aos concorrentes e sabem que a adoção das novas tecnologias contribui para o seu crescimento.

Segundo estudo do Boston Consulting Group, os empreendimentos que são líderes em tecnologia tiveram taxas de crescimento de receita 15 pontos percentuais a mais do que aqueles que demoraram a adotá-la e criaram empregos duas vezes mais rápido. Ainda de acordo com o estudo, À frente da concorrência: Lições sobre Tecnologia e Crescimento das Pequenas Empresas Líderes, se mais empresas utilizassem tecnologias como software de produtividade, internet e serviços baseados na nuvem, haveria acréscimo de US$ 122 bilhões na economia brasileira e geração de mais de 2,5 milhões de postos de emprego. Resultando assim, em maior competitividade nacional.

Com a mobilidade de programas como o Office 365, que inclui o OneDrive for Business, entre outros, os empreendedores têm fácil acesso a documentos, mantêm suas equipes conectadas, ganham agilidade em negociações e estreitam o relacionamento com os clientes. Em consequência, otimizam o tempo e o custo de grandes estruturas físicas, este último é um dos detalhes mais sensíveis a ser considerado em uma PME.

Em seu compromisso de contribuir para tornar as PMEs brasileiras mais competitivas, a Microsoft investe na criação de novos serviços e soluções para o segmento. Como o Azure, que possui datacenter no Brasil, proporcionando melhor performance, ou seja, com essa infraestrutura local, a velocidade dos serviços aumenta entre 10 e 30 vezes. Por isso, o empreendedor consegue hospedar um website ou dados na nuvem rapidamente. E, com o Office 365, conta com as ferramentas mais utilizadas no mundo, como o Word, Excel e PowerPoint, além do OneNote e do Lync.

Hoje, as empresas podem comprar a infraestrutura para trabalhar de acordo com o tamanho do empreendimento. Os planos para utilização do Office 365 são flexíveis e, à medida que o número de funcionários aumenta, a empresa pode habilitar novas licenças do produto. Dessa maneira, gerencia melhor os gastos.