Pesquisar em Segurança Microsoft
Pesquisar em Microsoft.com

Proteção para a Família

Ensine sua família a usar a Internet com mais segurança com estas orientações. Conheça as configurações de segurança dos produtos Microsoft.

Predadores online: Ajude a minimizar riscos

Predadores online: Ajude a minimizar riscos

O uso de ferramentas de comunicação na Internet, como redes sociais , salas de bate-papo , e-mail e mensagens instantâneas, pode submeter as crianças ao risco potencial de encontrar predadores online.

O anonimato da Internet significa que confiança e intimidade podem se desenvolver rapidamente online. Os predadores se aproveitam desse anonimato para estabelecer relacionamentos online com jovens inexperientes.

As crianças acham que conhecem os perigos dos predadores, mas na realidade, elas são bastante ingênuas sobre relacionamentos online.

Os pais podem ajudar a proteger seus filhos, conhecendo os riscos relacionados à comunicação online e participando das atividades de seus filhos na Internet.

Como os predadores online atuam?

Os predadores online fazem o seguinte:

  • Buscam crianças em redes sociais, blogs, salas de bate-papo, mensagens instantâneas, e-mails, fóruns e outros sites.

  • Seduzem seus alvos com atenção, carinho, bondade e até mesmo presentes.

  • Conhecem as músicas atuais e os passatempos que provavelmente interessam às crianças.

  • Ouvem e se compadecem com os problemas das crianças.

  • Tentam diminuir as inibições dos jovens, introduzindo conteúdo sexual gradativamente em suas conversas ou mostrando-lhes material de sexo explícito.

  • Também podem avaliar as crianças que conhecem online para um posterior encontro pessoal.

Como os pais podem minimizar os riscos de uma criança tornar-se vítima?

  • Converse com seus filhos sobre predadores sexuais e os potenciais perigos online.

  • Use software de controle dos pais integrado aos novos sistemas operacionais, como Windows 7 ou Windows Vista ou que possa ser baixado gratuitamente, como Configurações da Proteção para Família do Windows Live .

  • Siga os limites de idade dos sites de redes sociais. A maioria dos sites de rede social exige que os usuários tenham 13 anos ou mais. Se os seus filhos estiverem abaixo da faixa etária recomendada para esses sites, não deixe que eles os usem.

  • As crianças pequenas não devem usar salas de bate-papo, os perigos são grandes demais. À medida que as crianças ficam mais velhas, oriente-as para salas de bate-papo infantis bem monitoradas. Estimule inclusive seus filhos adolescentes a usarem salas de bate-papo monitoradas.

  • Se os seus filhos participam de salas de bate-papo, procure saber quais eles frequentam e com quem conversam. Monitore pessoalmente as áreas de bate-papo para ver que tipo de conversas ocorre.

  • Instrua seus filhos a nunca deixar a área pública da sala de bate-papo. Muitas salas de bate-papo oferecem áreas privadas onde um usuário pode ter um batepapo sozinho com outro – e os monitores não podem ler essas conversas. Em geral, são chamadas de áreas de “sussurro”.

  • Mantenha o computador conectado à internet em uma área comum da casa, nunca no quarto da criança. É muito mais difícil para um predador estabelecer um relacionamento com seu filho se a tela do computador for facilmente visível. Mesmo quando o computador estiver em uma área pública de sua casa, sente com seus filhos quando estiverem online.

  • Seus filhos mais jovens devem usar o endereço de e-mail da família em vez de ter suas próprias contas de e-mail. À medida que vão ficando mais velhos, você pode pedir ao seu Provedor de Internet (ISP) para configurar um endereço de e-mail separado, mas o correio dos seus filhos ainda pode permanecer na sua conta.

  • Diga a seus filhos para nunca responderem mensagens instantâneas ou e-mails de estranhos. Se os seus filhos utilizam computadores em locais fora de sua supervisão - biblioteca pública, escola ou casa de amigos -, informe-se sobre as proteções usadas no computador.

  • Se todas essas precauções não surtirem efeito e seu filho encontrar realmente um predador online, não o culpe. O criminoso é sempre inteiramente responsável. Adote medida decisiva para impedir qualquer contato de seu filho com essa pessoa.

Como seus filhos podem reduzir o risco de se tornarem vítimas?

Há uma série de precauções que as crianças podem tomar, inclusive:

  • Nunca baixar imagens de uma fonte desconhecida – elas podem conter sexo explícito.

  • Usar filtros de e-mail .

  • Contar para um adulto imediatamente se acontecer alguma coisa online que os faça se sentirem desconfortáveis ou assustados.

  • Escolher um nome de tela de gênero neutro que não contenha palavras sexualmente sugestivas nem revele informações pessoais.

  • Nunca revelar informações pessoais sobre si mesmos (inclusive idade e sexo) ou informações sobre sua família a outras pessoas online e não preencher perfis pessoais online. Para regras mais específicas sobre informações pessoais em sites como o Windows Live Spaces ou o MySpace, consulte Como ajudar seus filhos a usar sites sociais com maior segurança .

  • Interromper qualquer comunicação por e-mail, conversas por mensagens instantâneas ou chats se alguém começar a fazer perguntas demasiado pessoais ou com teor sexual.

  • Afixar o acordo familiar online perto do computador para lembrá-los de proteger sua privacidade na Internet.

O que fazer se seu filho estiver sendo ameaçado?

  • Se seu filho receber fotografias com sexo explícito de um correspondente online, ou se ele for assediado sexualmente por e-mail, mensagens instantâneas ou qualquer outro meio online, contate a polícia local. Guarde toda a documentação, incluindo endereços de correio eletrônico, endereços de sites e registros de bate-papo para apresentar à polícia.

  • Procure arquivos pornográficos ou qualquer tipo de comunicação sexual em seu computador - esses são muitas vezes os sinais de alerta.

  • Monitore o acesso do seu filho a todas as comunicações eletrônicas ao vivo, como salas de bate-papo, mensagens instantâneas e e-mail.

Fonte: Algumas das informações acima foram adaptadas, com permissão, da publicação do U.S. Federal Bureau of Investigation “A Parent’s Guide to Internet Safety” (Guia de Segurança na Internet para os Pais).