Pesquisar Segurança Microsoft
Pesquisar Microsoft.com

Segurança Familiar

Ensine os seus familiares a utilizarem a Internet de forma mais segura com estas directrizes. Aprenda sobre definições de segurança familiar para produtos Microsoft

Ensine aos seus filhos os conceitos básicos de segurança

Ensine aos seus filhos os conceitos básicos de segurança

Se for pai/mãe, pode ajudar o seu filho a utilizar a Internet em segurança, ensinando algumas regras básicas. Eis algumas lições básicas que os pais podem ensinar aos filhos.

  • Encoraje as crianças a manter as palavras-passe em segredo

    As crianças criam nomes de utilizador e palavras-passe on-line para a escola, websites de jogos, redes sociais, publicação de fotografias, compras, etc.

    De acordo com um estudo feito pela Teen Angels de Wired Safety.org, 75% dos menores com 8 a 9 anos partilharam palavras-passe e 66% das raparigas, na faixa etária dos 7 aos 12, afirmam ter partilhado a sua palavra-passe.

    A primeira regra da segurança na Internet é: manter as palavras-passe secretas. Encoraje as crianças a tratarem as suas palavras-passe com muito cuidado, bem como as informações que protegem.

    Eis algumas regras que as crianças devem saber e seguir.

    • Não revele palavras-passe. Mantenha as suas palavras-passe ocultas, mesmo de amigos.

    • Proteja palavras-passe guardadas. Seja cuidadoso com o local onde guarda palavras-passe que grava ou anota. Não guarde palavras-passe na mochila ou na carteira. Não deixe registos das suas palavras-passe em locais onde não deixaria as informações que estas guardam. Não guarde palavras-passe num ficheiro no computador. Os criminosos procuram aí primeiro.

    • Nunca forneça a sua palavra-passe via e-mail ou em resposta a um pedido de e-mail. Qualquer mensagem de e-mail que peça a sua palavra-passe ou peça que aceda a um website para verificar a sua palavra-passe pode ser fraudulenta (esquema de phishing).

      Tal inclui pedidos de sites fidedignos que visita regularmente. Os praticantes de fraudes criam frequentemente mensagens de e-mail com logótipos e linguagem de sites reais. Saiba mais sobre esquemas de phishing.

    • Não introduza palavras-passe em computadores que não detém controlo. Não use computadores públicos de escolas, bibliotecas, cibercafés ou salas informáticas para acções excepto navegar anonimamente na Internet.

      Não utilize estes computadores para qualquer conta que requeira um nome de utilizador e palavra-passe. Os criminosos podem comprar dispositivos de registo de teclas por pouco dinheiro e que apenas demoram alguns momentos a instalar. Com estes dispositivos, os utilizadores maliciosos podem recolher informações introduzidas num computador em toda a Internet. Para obter mais informações, veja: 5 passos para utilizar um computador público.

  • Ajude os seus filhos a utilizar redes sociais de forma segura

    O seu filho pode utilizar sites de redes sociais destinados a crianças como o Webkinz ou Club Penguin ou sites concebidos para adultos como o Windows Live Spaces, YouTube, MySpace, Flickr, Twitter, Facebook, etc.

    As crianças usam as redes sociais para se ligarem a utilizadores que podem viver no outro lado do mundo, bem como a colegas que vêem todos os dias na escola.

    As crianças devem compreender que muitos destes sites sociais podem ser vistos por qualquer pessoa com acesso à Internet. Como resultado, algumas das informações que publicam podem torná-los vulneráveis a esquemas de phishing, cyberbullying e predadores da Internet. Eis algumas formas de ajudar as crianças a utilizarem sites de redes sociais com segurança.

    • Fale com as crianças sobre as suas experiências. Encoraje o seu filho a contar-lhe se algo que encontrou na Internet o fez sentir ansioso, desconfortável ou ameaçado. Mantenha-se calmo e lembre ao seu filho que fez bem em contar-lhe o que aconteceu. Informe-o que irá colaborar com ele no sentido de ajudar a resolver a situação de forma positiva.

    • Estabeleça regras de Internet. Assim que o seu filho começar a utilizar a Internet sozinho, estabeleça regras para a sua utilização. Estas regras devem definir se ele pode usar sites de redes sociais e como poderá fazê-lo. Para obter mais informações sobre estabelecer regras, veja Utilizar contratos familiares para ajudar a proteger on-line os seus filhos.

    • Assegure-se de que o seu filho respeita os limites de idade. A idade recomendada para registo em sites sociais é normalmente a partir dos 13 anos. Se o seu filho não estiver dentro da idade recomendada, não o deixe usar os sites. Não pode confiar nos serviços – certifique-se de que ele não se regista.

    • Informe-se. Analise os sites que o seu filho pretende utilizar e certifiquem-se ambos de que compreenderam a política de privacidade e o código de conduta. Procure saber se o site monitoriza os conteúdos que as pessoas publicam. Do mesmo modo, verifique periodicamente a página do seu filho.

    • Ensine o seu filho a nunca se encontrar pessoalmente com pessoas com as quais comunica apenas on-line. As crianças estão em perigo real quando se encontram pessoalmente com estranhos com os quais comunicaram apenas on-line. Poderá não ser suficiente dizer ao seu filho para não falar com estranhos, porque ele pode não considerar alguém que “conheceu” on-line como estranho. Para mais aconselhamento sobre protecção de crianças na Internet, veja Predadores on-line: O que pode fazer para minimizar o risco.

    • Encoraje o seu filho a comunicar com pessoas que já conhece. Pode ajudar a proteger o seu filho, encorajando-o a usar sites para comunicar com amigos e não com pessoas que nunca conheceu pessoalmente.

    • Assegure-se de que o seu filho não usa o seu nome completo. Ensine o seu filho a utilizar apenas o primeiro nome ou uma alcunha (nickname) mas não uma alcunha que atraia atenção não desejada. Não permita também que o seu filho publique os nomes completos dos amigos.

    • Esteja atento a informações identificáveis no perfil do seu filho. Muitos sites sociais permite às crianças registarem-se em grupos públicos que incluem todos que frequentam determinada escola.

      Esteja atento quando o seu filho revela informações que possa identificá-lo, como a mascote da escola, local de trabalho, nome da cidade onde residem. Demasiada informação pode tornar o seu filho vulnerável ao cyberbullying, a predadores da Internet, a fraude da Internet ou a furto de identidade. Para obter mais informações, veja Saiba reconhecer esquemas de phishing e e-mails falsos.

    • Considere utilizar um site que não é muito público. Alguns websites permitem que proteja o seu site com palavras-passe ou outros métodos de forma a ajudar a limitar os visualizadores a pessoas que o seu filho conhece. Com o Windows Live Spaces, por exemplo, pode definir permissões para quem visualiza o seu site, desde a todos da Internet a apenas pessoas que escolher.

    • Seja inteligente quanto a detalhes em fotografias. Explique ao seu filho que as fotografias podem revelar bastantes informações pessoais. Encoraje o seu filho a não publicar fotografias de si próprio ou de amigos com detalhes claramente identificáveis como sinais de trânsito, matrículas ou nome da escola na roupa.

    • Avise o seu filho quanto a exprimir emoções a estranhos. Provavelmente já encorajou o seu filho a não comunicar directamente com estranhos que estejam on-line. No entanto, as crianças usam websites sociais para escrever diários e poemas que expressam frequentemente emoções fortes.

      Explique ao seu filho que qualquer um que tenha acesso à Internet pode ler o que ele escreveu e que os predadores procuram frequentemente crianças emocionalmente vulneráveis.

    • Ensine ao seu filho o que é o cyberbullying. Assim que os seus filhos tiverem idade suficiente para usarem websites sociais, converse com eles sobre estes cyberbullying. Diga-lhes que se acham que estão ser vítimas de cyberbullying, devem partilhar imediatamente estas informações com os pais, professor ou outro adulto em que confiam. É também importante encorajar as crianças a comunicarem com outras pessoas on-line da mesma forma que o fariam cara a cara. Peça aos seus filhos para tratarem as outras pessoas da mesma forma que gostariam de serem tratados.

    • Remoção da página do seu filho. Se o seu filho recusar seguir as regras que estabeleceu para o salvaguardar e se você tentou ajudá-lo, sem êxito, a mudar o seu comportamento, pode contactar o site social que o seu filho utiliza e pedir-lhe para remover a página. Pode também querer investigar ferramentas de filtragem da Internet (como Segurança Familiar do Windows Live) como complemento para, mas sem substituir, a supervisão parental.

      Deseja obter mais informações sobre como ajudar o seu filho na Internet? Consulte Ajude a proteger os seus filhos on-line: 4 coisas que pode fazer.

  • Se o seu filho tiver um blogue, assegure-se de que não são revelados dados pessoais nesse blogue

    A prática de escrever em blogues, abreviatura para "Web log" ou diário pessoal on-line, espalhou-se como um incêndio não controlado especialmente entre adolescentes que, por vezes, mantêm blogues sem conhecimento dos seus pais ou encarregados de educação.

    As redes sociais ultrapassaram agora os blogues como passatempo on-line de eleição para a maioria dos adolescentes; contudo, muitos ainda blogam no seu website de rede social. Estudos recentes mostram que adolescentes escrevem aproximadamente em metade dos blogues actuais, em que dois de três indicam a sua idade, três em cinco revelam a sua localização e informações de contacto, e um em cinco revela o nome completo. Existem riscos na partilha de informações pessoais detalhadas.

    Embora a manutenção de um blogue ofereça potenciais benefícios como a melhoria das aptidões de escrita e comunicação, é importante educar o seu filho sobre a Internet e blogues antes de ele começar – tal como concluir todas as aulas de condução antes de conduzir. Eis algumas sugestões para começar:

    • Estabeleça regras para a utilização on-line com os seus filhos e seja diligente.

    • Averigúe o que os seus filhos planeiam publicar antes destes o fazerem. Informações aparentemente inócuas, como fotografias da mascote da escola e da cidade, podem revelar a escola que o autor frequenta.

    • Pergunte a si próprio se sente-se confortável (e ensine os seus filhos a fazerem o mesmo) em mostrar qualquer parte do conteúdo a um estranho? Em caso de dúvida, retire-o.

    • Avalie o serviço do blogue e verifique se oferece blogues privados e protegidos com palavra-passe.

    • Guarde o endereço Web do blogue do seu filho e reveja-o regularmente.

    • Veja outros blogues para procurar exemplos positivos para os seus filhos.

  • Tenha atenção à fraude on-line

    De acordo com a Federal Trade Commission, 31% das vítimas registadas de furto de identidade são jovens. Os adolescentes são alvos atractivos porque têm boas avaliações de crédito e poucas dívidas e tendem a ser menos conhecedores do que os adultos sobre como manter informações pessoais em segurança.

    Algumas coisas que os seu filho deve saber para ser um consumidor informado e evitar a fraude on-line

    • Nunca partilhe informações pessoais. Não forneça informações pessoais, como o seu nome completo ou cidade onde reside via mensagem instantânea ou chat, excepto se tiver a certeza da identidade da pessoa com a qual está a conversar.

    • Feche a sessão em locais públicos. Se utilizar computadores numa biblioteca ou Internet cafe, feche a sessão antes de sair. Não sabe que software está instalado nesses computadores ou o que faz e estes podem ter software de detecção de toques de tecla instalado.

    • Crie palavras-passe seguras e mantenha-as em segredo. Para mais informações, veja o item 1 apresentado anteriormente.

    • Utilize apenas sites seguros. Se o seu filho faz compras na Web, ele deve certificar-se de que o URL de qualquer site no qual introduz dados financeiros começa por https:// e apresenta um ícone de cadeado amarelo no canto inferior direito ou uma barra de endereço verde. Pode clicar no ícone ou na barra de endereço para verificar o certificado de segurança do site.

    • Saiba reconhecer e reportar fraude. Ensine aos seus filhos quanto aos sinais de aviso da fraude de identidade: ofertas de cartões de crédito pré-aprovados, chamadas de agências de recolha de informações, declarações financeiras pouco comuns. Se o seu filho tiver suspeitas quanto a fraude de identidade, tome imediatamente medidas para limitar o dano. Contacte a sua instituição do cartão de crédito, bancos, agências de relatório de crédito e a polícia. Feche quaisquer contas fraudulentas e peça para mudar as palavras-passe de todas as contas on-line. Mantenha registos de todas as acções que efectuou.