United States   Change   |   All Microsoft Sites

Home

Base Sólida para Cargas de Trabalho Corporativas

O Windows Server 2008 R2 foi projetado para ser uma plataforma operacional corporativa de ponta, capaz de lidar com as mais exigentes cargas de trabalho e de oferecer uma experiência de produtividade de rede de êltima geração a usuários finais nas maiores redes. Para lidar com esses desafios, a Microsoft projetou o Windows Server 2008 R2 tendo em mente novas categorias de recursos, não apenas para destacar a clusterização que o Windows Server 2008 oferece, mas também para estendê-la a novíssimos cenários.

Maior Disponibilidade para Datacenters Virtuais

Um dos aspectos mais importantes de qualquer datacenter é oferecer a maior disponibilidade possível a sistemas e aplicações. Datacenters virtuais não são exceção para a necessidade de consolidação, alta disponibilidade e, acima de tudo, de ferramentas de gerenciamento sofisticadas.

O Hyper-V no Windows Server 2008 R2 inclui o muito esperado recurso Live Migration, que permite que você movimente uma máquina virtual entre dois servidores hosts de virtualização sem nenhuma interrupção do serviço. Os usuários conectados à máquina virtual que está sendo movida podem perceber apenas uma pequena queda no desempenho durante alguns instantes. Fora isso, eles nem mesmo saberão que a máquina virtual foi movida de um computador físico a outro.

Suporte a Live Migration através de Volumes Compartilhados do Cluster

O Live Migration usa o novo recurso CSV (Cluster Shared Volumes - Volumes Compartilhados do Cluster) dentro do Cluster de Failover do Windows Server 2008 R2. Os volumes CSV permitem que vários nós no mesmo cluster de failover acessem simultaneamente o mesmo LUN (Logical Unit Number - Nêmero de Unidade Lógica).

Apesar de atualmente os CSVs serem usados principalmente com Live Migration, os benefícios serão estendidos além daquele ênico cenário. Uma das razões é que eles são fáceis de configurar usando simples NTFS em vez de algum outro formato proprietário. Isso significa que os administradores não precisarão reformatar suas redes SAN para aproveitar as vantagens de CSVs. Isso também significa que será mais fácil para os administradores mostrar aos usuários apenas um repositório de dados em vez de uma pequena floresta de silos - sem metáforas para usuários finais, apenas um prático armazenamento em rede. E além do mais, os CSVs não exigem ferramentas de gerenciamento e configuração próprias. Os adminstradores do Windows Server acostumados às ferramentas no Windows Server 2008 podem continuar usando os mesmos consoles e simplesmente trabalharão com CSVs no R2.

Tolerância a Falhas de Conectividade de Nó de Cluster Aperfeiçoada

Por causa da arquitetura de CSV, há uma maior tolerância a falhas de conectividade de nó de clusters que afeta diretamente as VM em execução no cluster. A arquitetura de CSV implementa um mecanismo, conhecido como redirecionamento dinâmico de E/S, em que E/S podem ser reencaminhadas dentro do cluster de failover com base na disponibilidade de conexão.

Ferramenta de Validação de Cluster Aperfeiçoada

O Windows Server 2008 R2 inclui um BPA (Best Practices Analyzer - Analisador de Práticas Recomendadas) para todas as principais funções de servidor, inclusive Cluster de Failover. Esse analisador examina as definições de configuração de práticas recomendadas para um cluster e nós de cluster.

Migração aprimorada de cargas de trabalho do cluster

Os administradores podem migrar cargas de trabalho de cluster executadas atualmente no Windows Server 2003 e no Windows Server 2008 para o Windows Server 2008 R2. Esse processo de migração:

  • Suporte a todas as cargas de trabalho atualmente suportadas no Windows Server 2003 e no Windows Server 2008, incluindo o DFS-N, DHCP, DTC, File Server, Generic Application, Generic Script, Generic Service, iSNS, MSMS, NFS, Other Server, TSSB e WINS.

  • Suporte à maioria das configurações comuns de rede.

Avalie o Windows Server 2008 R2