Desafio

A Amazônia representa mais da metade das florestas tropicais restantes do planeta, e sua biodiversidade incrível é um recurso natural inestimável. Entre 1985 e 2019, 871.999 quilômetros quadrados de vegetação nativa foi perdida para o desmatamento só no Brasil. Isso equivale a 10% de destruição das terras brasileiras. A Imazon, uma organização brasileira, promove o desenvolvimento sustentável na Amazônia por meio de estudos, suporte à formulação de políticas públicas, ampla disseminação de informações e desenvolvimento de capacidades. Entretanto, sem um aprendizado de máquina abrangente, os modelos de floresta da Imazon ficavam incompletos, fornecendo apenas metade do cenário.

Soluções

A Imazon, a Fundo Vale e a Microsoft estão integrando um algoritmo de modelo de risco de desmatamento de florestas tropicais ao Azure. Com um modelo mais robusto de processamento de imagens de florestas, a PrevisIA pode identificar estradas não oficiais, um dos principais indicadores de futuros desmatamentos, simulando futuros cenários para impedir eventos de perda de florestas tropicais, como incêndios florestais, antes que eles aconteçam. Os painéis e mapas de riscos e de probabilidades resultantes permitem que a Imazon preveja futuros desmatamentos e criam alertas de riscos, além de usar a IA para cobrir mais áreas em grande escala. O modelo será mais preciso e permitirá inserções de dados expandidas. Ele foi criado pensando nos criadores de políticas para que eles possam tomar decisões melhores para proteger nossa biodiversidade, e os conservacionistas podem usar os mesmos painéis para oferecer suporte à sua missão.

Como a Imazon usa o Azure

Vista através de árvores ao pôr do sol.

30 anos promovendo a conservação e o desenvolvimento sustentável na Amazônia.

Um macaco em uma árvore, segurando uma noz, olha para a câmera.

Créditos de fotos:

Imagem do cabeçalho de curso de água da Amazônia fornecida pela Imazon; crédito da foto: Márcio Nagano. Imagem de água e árvores no pôr do sol fornecida pela Imazon.